A Tecnoformacia

24.7.15

Tecnicalidades à parte, eis que se sabe que o actual primeiro-ministro ocultou a sua participação em actividades empresariais que resultam em conflito de interesses tal como evitou deliberadamente descontos obrigatórios que lesam o Estado em vários milhares de euros.

É obvio para todos, senão desde o início pelo menos agora, que Passos Coelho participou activamente na mais vulgar forma de corrupção que mina a democracia no seu ponto nevrálgico! Não é actor único mas sim mais um dos que viajam à boleia de um sistema que formaliza e moraliza todos os dias a corrupção, uma teia completa onde desde a participação económica ao tráfico de influências tudo é permitido e até glorificado, afinal, “o Pedrinho abria todas as portas” como disse Fernando Madeira seu antigo patrão na Tecnoforma!

O céu é o limite e puxando o cordel certo tudo é permitido na tecnoformacia! Formar técnicos de forma inútil com dinheiros públicos, comprar licenciaturas, evaporar milhares de documentos sobre submarinos, adjudicar milhões em contratos em parcerias onerosamente públicas e lucrativamente privadas, entregar estudos vários à própria empresa… Na comunicação social e nos tribunais jorram suspeitas e provas de meios crimes e nulos culpados. Corruptores julgados e condenados por corromperem ninguém, ao estilo da imaculada concepção, como aliás só podia em toda a cristandade do sr. Paulo Portas.

Eis que o ridículo de ontem é a vitória de amanhã, sr. Pedro Coelho não conhecia a sua obrigação de pagar impostos mas já sobre a dívida grega não tem qualquer ponta de dúvida sobre a sua obrigatoriedade moral.

O mesmo, enquanto actuava na AR como deputado na sua casta exclusividade, recebia milhares de euros da Tecnoforma (150 mil euros em 3 anos para ser mais exacto), mas sem problema porque era remunerado em despesas de representação e como vários comentadores se apressaram a confirmar - todos o fazem! Normal então, podemos dormir descansados!

Que dizer do honesto (tão honesto que só para igualar há que nascer, pelo menos, uma segunda vez!), primeiro-ministro em duas legislaturas e presidente da república por dois mandatos, sr. Cavaco Silva e das suas acções do BPN, da sua casa com escritura em parte incerta (o sr. Aníbal não se lembra mesmo!) vizinho de toda a SLN nos seus parcos 1600 metros quadrados de edificado na urbanização da coelha, ou o velhinho caso das marquises já, claro, arquivado? O "não político" ou "anti-político", e por isso impoluto, que com uma reforma acima dos dez mil euros achou por bem comparar-se aos milhares de reformados e pensionistas que vivem na miséria.

Sem surpresa ouvimos o sr. Paulo Rangel justificar o seu binómio advogado-deputado como tão inócuo em comparação com o médico, professor ou dirigente sindical, mesmo sendo este sócio da sociedade de advogados recordista em contratos com o Estado. Pura ingenuidade pensar que somos todos parvos o suficiente para achar que tudo se mete no mesmo saco que o sr. deputado não se encontra em situação privilegiada para o exercício de uma função legal paralela ou em claro conflito de interesses, alimentando-se da teta de dois patrões distintos, aliás previsto em muitas outras situações no estatuto que regula a sua profissão. Vai ainda mais longe investindo-se de particular independência e isenção por depender de remuneração própria (aparentemente a remuneração como deputado europeu, que ascende os sete mil euros brutos sem contar com os subsídios, não chega para tal) podendo assim ser crítico de tudo e de todos.

Tempestades de ditos e contraditos, "inverdades", factos e factóides fazem o spin e respin da informação a divulgar, inundar com números e opiniões é a nova forma de encobrir. Todos nos tornámos criminosos aos olhos de um Estado que persegue os seus cidadãos em nome de um suposto cumprimento da lei, ficando impunes os responsáveis pelas próprias leis e pelo carácter violento na sua execução.

É a tecnoformacia, uma escola completa de corrupção legal! A doutrina de quem quer pôr Portugal à frente, logo a seguir a eles claro!

Relacionados