Quem é Duarte Marques – Da vírgula ao ponto final

24.12.14

No princípio era a vírgula, e a vírgula estava mal posta. Depois, Duarte Marques criou o erro ortográfico, a parolice e a incultura e o PSD escolheu-o para a Comissão de Educação, Ciência e Cultura da Assembleia da República. Sobre a educação, ciência e cultura de Duarte Marques já tudo foi dito: no Público chamaram-lhe analfabeto, no Inflexão corrigiram-lhe os erros, no Malomil encostaram-no à parede, no Aventar deram-lhe dois pares de tabefes e até o Corporações achou por bem chamar-lhe “bronco”.

Os lábios dos estúpidos criam contendas e a sua boca pede açoites
Bíblia Sagrada, Provérbios 18-6
Mas Duarte Marques não morreu (Duarte Marques é um boy e os boys vivem para sempre nas empresas dos papás). Não! Mofado até pelos seus correligionários, Duarte Marques sorriu o seu sorriso ufano, escarrou para o lado, arregaçou da testa o cabelinho à foda-se e continuou a emporcalhar o Expresso com a letradura mais escangalhada de toda a imprensa nacional.

Até que Duarte Maques, porventura contagiado pelo espírito da quadra natalícia, quis deixar no sapatinho dos portugueses uma prendinha, assim em jeito de compensação pela miséria a que nos condena, nas suas funções de deputado do PSD: nem mais nem menos que um dos textos mais reaccionários e repulsivos do mundo hodierno e, possivelmente, do espaço sideral.

O artigo em causa resume-se a isto: Duarte Marques está contente com o “fim do embargo” dos EUA contra Cuba porque prova que Cuba está a mudar. Ao contrário do PCP, da “planície do avante” e da Coreia do Norte, que não são “normais” e carecem de uma “normalização”. Mais, são o “socialismo e populismo mais radical que tem alastrado pela América latina” que, argumenta Duarte Marques, agora ficam órfãos de referentes ideológicos.


Já sei o que estão a pensar: o artigo é demasiado estúpido para sequer ser comentado! Mas suspiremos fundo e recordemos o que diz o Velho Testamento, Livro de Provérbios capítulo 18 versículo 6: “Os lábios dos estúpidos criam contendas e a sua boca pede açoites”. É chegada a hora do açoite.

O primeiro problema é que depois do Inflexão o ter ensinado a não colocar vírgulas entre o sujeito e predicado, Duarte Marques precisa agora que o ensinem a capitalizar palavras. Por exemplo, “Castrista” não deve ser capitalizado, mas “ocidente” (enquanto civilização) sim. “Administração” não necessita de maiúscula, mas “América latina” e “história” sim. Também podíamos falar do festival de aspas (“bases”, “romântica”, “calçadeira” etc.) e das construções sintácticas absurdas, mas seriam cuidados paliativos: Duarte Marques engana-se a citar Phil Collins (quem é que cita Phil Collins?!) e a sua escrita está mórbida para lá da salvação.



Centremo-nos, pois, no essencial:

  • Duarte Marques não percebeu que aquilo a que chama embargo não acabou. E publicou um artigo no Expresso sobre não ter percebido. Segundo a sua página na Assembleia da República, Duarte Marques detém uma licenciatura em Relações Internacionais e até “frequentou” um bocadinho do mestrado, mas desconhece a diferença entre a normalização das relações diplomáticas e o fim de um embargo. De qualquer forma, a agressão estado-unidense é muito mais que um embargo: como prova o alcance das leis Torricelli e Helms-Burton, Cuba continua sujeita a um bloqueio, malgrado os importantes passos anunciados.

  • Por outro lado, Cuba não cedeu aos EUA, foram sim os EUA que cederam a Cuba: foi o próprio Obama que reconheceu o fracasso da estratégia de asfixia contra a ilha caribenha e, ao contrário do que Duarte Marques supõe, os dirigentes cubanos têm sido bastante claros sobre a natureza do modelo de actualização económica. Cuba pretende aperfeiçoar o socialismo e rejeita igualmente a cofragem da perestroika e o modelo chinês.

  • O artigo defende que uma "sociedade normal" é uma sociedade com explorados e exploradores, com oprimidos e opressores, com escolhidos e excluídos. O PCP, por se opor a este sistema é considerado uma anormalidade que importa "normalizar". Ficam patente a escala de princípios e os critérios democráticos de Duarte Marques.

  • Finalmente, o Avante não é uma planície, o PCP sempre defendeu o fim do bloqueio, a Coreia do Norte pôs recentemente em prática alguns mecanismos de economia privada e nada disto tem absolutamente nada a ver com Cuba.

  • Estabelecida a atroz estupidez do seu artigo, importa agora compreender quem é Duarte Marques. Prepara-te Dudu, agora é que vai doer.

    Passo os olhos pelo seu CV e descubro que Duarte Marques encontrou o seu primeiro trabalho, aos 21 anos, como “assessor” de Morais Sarmento, então Ministro da Presidência. Depois, o escalabitano continuou a ocupar lugares de jarra, aqui e ali, como “o jovem” de diferentes organismos e instituições. Para sempre jovem, como um Peter Pan beto e marialva, Duarte Marques foi dirigente da JSD até há um par de anos e foi assim que entrou no Parlamento.

    Duarte Marques que, já sabemos, integra a Comissão de Educação, Ciência e Cultura da Assembleia da República, tem votado a favor de todos os cortes brutais contra a Educação, Ciência e Cultura. Mais, defende que é preciso acabar com a “investigação não-rentável” (ou seja tudo da sociologia à literatura passando pelo seu próprio curso). Nada de novo sob o sol, Duarte Marques sempre disse que não gosta de “ratos de biblioteca” e provavelmente nunca entrou numa, ou talvez não escrevesse como escreve. Já enquanto parlamentar, ficou mais conhecido pela sua grotesca mudança de posição sobre o casamento de pessoas do mesmo sexo, mas não é essa a sua principal função.

    O Duarte Marques, que odeia a Cuba dos direitos, da educação gratuita, do investimento na ciência e da saúde pública para todos, é o mesmo Duarte Marques que para Portugal defende o aumento dos impostos para quem trabalha, o fim de todos os direitos laborais e a privatização de todos os serviços públicos. Duarte Marques é só mais um dos nomes responsáveis pela austeridade, pela fome, pela miséria e pelas nossas casas frias. É um dos culpados por esta queixa horrível, que a ele não diz nada porque só a conhecem os trabalhadores: não ter tempo nem dinheiro para nada. O mesmo Duarte Marques, que enquanto vice-presidente da associação de caridade HELPO, se dedica a combater as carências das crianças africanas , condena 1/3 das crianças portuguesas à miséria e à fome.

    Mais adiante, no seu registo de interesses, ficamos a saber que Duarte Marques detém 5% do capital de uma empresa de publicidade curiosamente chamada “Mosca”. A “MOSCA” de Duarte Marques alimenta-se como o insecto que lhe traz o nome e vive no mesmo ambiente. O seu maior cliente é a Portuguese Investments LLC, uma empresa ramificada da Revigrés, que por sua vez é gerida pela colega de Duarte Marques, a deputada do PSD Maria Paula Cardoso. Se restarem dúvidas, debrucemo-nos sobre o que diz a Associação Sindical dos Juízes:

    «Ao todo, são 36 as empresas a que estão directamente ligados deputados que comunicaram ter obtido lucros, num valor total de 9,286 milhões de euros. Entre as sociedades com resultados líquidos mais elevados, destaca-se a Revigrés. Esta empresa de revestimentos, que tem como uma das gerentes a deputada do PSD Maria Paula Cardoso – com uma quota no valor de 125 mil euros-, obteve um lucro de 4,12 milhões de euros em 2009.» Não é bom saber que o PSD está bem representado na Comissão Parlamentar de Inquérito à gestão do BES e do Grupo Espírito Santo?
    Duarte Marques a representar o seu gang


    Este Natal é pouco propício à paz e à harmonia. O povo português está a ser assaltado por bandidos como Duarte Marques. E enquanto o Expresso raramente encontra o espaço merecido para as notícias da luta de quem trabalha, basbaques incultos e analfabetos como Duarte Marques têm lugar cativo para dizer qualquer tolice e lutar, por todos os meios, pelos direitos de quem não trabalha; gente habituada a ter outras pessoas aos pés dos seus caprichos e que às vezes sonha que o mundo será sempre assim.

    Mas nem Cuba abandonou o socialismo nem o PCP deixará de ser comunista. É você, Duarte Marques, que está mal. Começando na sua escrita e acabando nos seus valores.

    Relacionados

    1. Anónimo24/12/14

      Isto é do melhor.

      ResponderEliminar
    2. Anónimo24/12/14

      Uaauuuu! Acho que ninguém fica com uma opinião maravilhosa deste Duarte Marques ao assistir às Comissões Parlamentares sobre o BES. Agora, entrar nesta loucura do insulto gratuito (com direito a fotos e tudo) só pode ser uma grande dor de cotovelo ou gente do outro extremo da Assembleia que, definitivamente, não é do mais moderado que existe.
      Boas festas

      ResponderEliminar
    3. Anónimo24/12/14

      Brilhante! Este gajo já precisava que alguem lhe respondesse com classe. Bom trabalho!

      ResponderEliminar
    4. Anónimo24/12/14

      Eu sei... eu sei... que a deputada ou de(puta)da Joana Barata Lopes acha o «Dudu» muito parecido com o actor Jack Black, porque «eles» (da JSD ou ex-JSD) gostam muito de se comparar às suas estrelas preferidas de Hollywood e tudo o que está bem, está nos Estados Unidos da América... ou como eles dizem, nos «States» (que eles dizem «stet's».

      Agora... não era preciso ser tão «bravo» com o rapaz que até quis subir ao palanque de Maidan e até pediu as bandeiras da UE para serem distribuídas pelo «povo» ucraniano, o verdadeiro povo que nada tem a ver com os simpatizantes do ex-dirigente, Stepan Bandera.

      Sim... eu também sei que os nacionalistas ucranianos não fazem parte do grupo de amigos da «Facebook» do «Dudu»... até porque o «Dudu» nunca aceitaria ser aliado de Dmitri Yarosh e muito menos aceitaria andar com um «pin» do «Svoboda» na camisinha branca, comprada em qualquer «Maconde» de Santarém.

      Sim... eu também sei que as bandeiras da UE foram retidas na alfândega de Kiev e nunca chegaram aos verdadeiros amantes da liberdade e da democracia de «Maidan»... como também não cheguei a saber se o «Dudu» deu a explicação desse pedido e de quem pagou as cerca de 3 mil bandeiras...

      Enfim... são os mistérios do «Jack Black» escalabitano cá da nossa terra.

      ResponderEliminar
    5. Anónimo24/12/14

      Conheço-o do tempo da universidade.... um pulha.

      ResponderEliminar
    6. Anónimo24/12/14

      Insultar é fazer acusações infundadas. No caso deste "senhor" será meter os pontos nos ii . Ou como diz o povo, tratar os bois por os nomes.

      E na conjuntura atual é preciso ser-se dotado de bastante coragem para assumir o risco de desafiar este bando de malfeitores que estão a infernizar a vida da maioria da população, os mais vulneráveis em particular para beneficio do grande capital.

      Nesse sentido as pessoas honestas e melhor esclarecidas têm o dever de denunciar as tropelias que os serviçais da burguesia cometem em nome da prosperidade e do bem estar do povo.

      Para desgraça daqueles que trabalham e produzem riqueza a realidade tem provado que essas promessas fraudulentas sem a menor intenção de serem cumpridas por quem as faz revertem sempre em beneficio próprio e da classe a que eles pertencem.

      Obrigado António por o excelente contributo que está a dar no sentido de esclarecer aqueles a quem lhes é negado o direito à informação séria.




      ResponderEliminar
    7. Anónimo24/12/14

      é fodasse e não foda-se

      ResponderEliminar
    8. Anónimo24/12/14

      "Anonimo 24 de dezembro de 2014 às 18:21".

      Eu não estou nada interessado saber quem pagou as bandeiras e ainda menos quem as distribuiu.

      Sei sim que no palanque da Maidan havia lugar para todo o bicho careto. E mais; conviveram todos ombro a ombro, desde "socialistas cá da nossa praça" à direita mais retrograda (nazis; ninguém nos está a ouvir ?" movia-os todos as mesmas razões e as mesmas paixões, ou seja servir exemplarmente os interesses do imperialismo.

      Até porque Maidan versa com OTAN.

      ResponderEliminar
    9. Argala25/12/14


      António,

      Eu acho que o debate sobre Cuba não deve aparecer amalgamado com considerações sobre esse pedaço de asno. Mas mais uma vez parece-me que cometes este erro: minar a discussão.

      Eu discordo. Eu acho que Cuba está a abandonar o socialismo. Mas isso não começou agora e os últimos acontecimentos não acrescentam muito. Esse abandono já vem desde o fim do juceplan.

      Creio que a linha justa está metida entre duas contradições: solidariedade anti-imperialista com Cuba e luta contra o revisionismo e o liquidacionismo num plano interno. E quando se entrecruzam as duas discussões, gera-se uma enorme confusão.

      Quando te pões a citar um analfabeto funcional e ele diz uma coisa acertada - que Cuba está menos socialista -, eu lembro apenas que um relógio parado está certo duas vezes ao dia. Ignoremos o pateta e discutamos Cuba.

      A coisa piora:

      "a Coreia do Norte pôs recentemente em prática alguns mecanismos de economia privada e nada disto tem absolutamente nada a ver com Cuba."

      Ou estou a interpretar mal, ou metes-te por maus caminhos.
      Achas realmente que uma coisa é sequer comparável à outra?! Estás a virar a realidade ao contrário. Não sei a que mecanismos te referes. só poderão ser os parques industriais. Tanto quanto sei, todos os meios de produção e distribuição estão nas mãos do Estado (com algumas cooperativa).. os parques industriais também são do Estado. Aí as empresas apenas compram trabalho. A RPDC alega que é obrigada a fazer isto por um problema de divisas (a moeda não é convertível, não há um peso convertível).

      Ao invés, em Cuba a propriedade privada dos meios de produção está na lei (http://www.granma.cu/file/pdf/2014/04/16/G_2014041609.pdf). A proximidade de Cuba com o capitalismo é incomparavelmente superior à RPDC.

      Cumprimentos

      ResponderEliminar
    10. Anónimo25/12/14

      foda-se
      • [Calão] Interjeição designativa de admiração, surpresa, espanto, indignação, etc.

      "foda-se", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/DLPO/foda-se [consultado em 25-12-2014].

      ResponderEliminar
    11. Argala25/12/14

      Pois. 'Fodasse' poderia ser o pretérito imperfeito no conjuntivo de um verbo que ainda não existe: o verbo 'fodar'. Mas a língua está sempre a evoluir. Há portanto a possibilidade do anónimo das 22h24 ser o Duarte Marques. O relógio que acerta duas vezes deve estar parado mais tarde..

      ResponderEliminar
    12. Anónimo26/12/14

      Um trambolho de beto

      A.Silva

      ResponderEliminar
    13. Anónimo26/12/14

      Argala, se queres discutir Cuba, discute a libertação dos três cubanos. Foi uma grande vitória para o povo cubano.
      Estar a querer discutir outra coisa, sem ver o principal desta questão, é cair num tremendo erro.

      ResponderEliminar
    14. Argala26/12/14


      Exacto caro anónimo, adivinhou. Vamos então cair nesse tremendo erro: discutir o socialismo.

      ResponderEliminar
    15. Anónimo26/12/14

      Argala, se não tiveres em conta que os que foram libertados, estavam em cativeiro há 16 anos, é porque não tens a noção do feito que Cuba conseguiu.
      Enfim, mas pessoas como tu fazem lembrar o Rui Tavares... tanto querem discutir o socialismo que acabam metidos no «PS».

      ResponderEliminar
    16. Anónimo26/12/14

      Um grande post este.

      Como alguém escrevia aí em cima: chamar o nome aos bois.

      Sempre

      De

      ResponderEliminar
    17. Argala26/12/14


      Caro anónimo,

      Vou responder mesmo desconfiando que vossemecê possa ser um drone, porque nem o revisionista mais rasteiro e embrutecido escreveria isso. Se tem medo de acabar no PS depois de discutir o socialismo em Cuba, é porque reconhece a sua frágil formação teórica.

      Aceite o conselho: discuta política. Vai ver que não dói nada. Senão isso de ser comunista é uma etiqueta presa com cuspo. E a teoria revolucionário não é para ser destratada assim. Esta questão está a ser discutida em vários círculos marxistas - seja bem-vindo.

      Cumprimentos

      ResponderEliminar
    18. Anónimo26/12/14

      Argala: espécie de cegonha

      Sim, uma espécie de «rara avis» me saiu «a espécie de cegonha» ambulante que anda aqui a debitar as postas de pescada (a favor do socialismo?)

      Já me estou a rir desta espécie de «avis canora» que se chateou (coitadinho do «Argala» ou da «Argália de trazer por casa»).

      Em vez de debitar as postas, aceite a vitória dos cubanos, ou então vou chegar à conclusão que o «Argala» ou «Argália» é estúpido, senão mesmo um idiota convencido.


      ResponderEliminar
    19. Argala26/12/14

      Eu sei anónimo, também já fui do benfica. Agora não ligo muito à bola mas ainda me lembro do espírito: "Cala-te e viva o benfica!!!". Espero que seja feliz assim.. você e essas pretensões literárias de passar por cordel.

      Quanto aos outros, que queiram discutir, convém lembrar o que disse Raúl Castro, no seu discurso sobre esta matéria: "Ahora, llevamos adelante, pese a las dificultades, la actualización de nuestro modelo económico para construir un socialismo próspero y sostenible." Ele estava a falar do quê?! (pxxxttt!! Cala-te!! Viva o benfica!!). O que é que vai ser actualizado? É óbvio que é a possibilidade de agilizar ainda mais o investimento privado do que a actual lei permite. E não há nada de estranho aqui. Isto foi um caminho que se foi fazendo: fim do juceplan, lei do investimento estrangeiro (que abre a porta à existência de proprietários de meios de produção de nacionalidade cubana), flexibilização das leis do mercado imobiliário em 2011 (http://www.cubadebate.cu/wp-content/uploads/2011/11/go_x_035_2011.pdf) e agora isto. Quem não entende em que direcção vai o barco, anda a dormir na alheta.

      Quanto à minha posição sobre a possibilidade de terminar o embargo, obviamente que o importante é a estrutura onde isso assenta. O fim do embargo é sempre importante, se a estrutura se mantiver socialista. Mas não é invulgar que num país onde se vai permitir o investimento privado, a burguesia queira entrar. Até o NYT já era contra o embargo antes disto tudo (http://www.nytimes.com/2014/10/12/opinion/sunday/end-the-us-embargo-on-cuba.html). A única razão porque isto se mantinha assim era a importância eleitoral dos gusanos num swing state, mas a maioria da burguesia quer é entrar e fazer dinheiro.

      E obviamente que a aproximação da Rússia a Cuba, o perdão da dívida soberana e a possibilidade de abertura de uma base militar, atiraram os EUA para a mesa das negociações com vontade de rematar logo um arranjo que afaste os russos daquela zona. E Cuba soube aproveitar isso.

      ResponderEliminar
    20. Argala26/12/14

      Deixo mais uma opinião sobre isto: http://youtu.be/M34K83G1bB8

      ResponderEliminar
    21. Anónimo27/12/14

      Não , de facto não me agrada muito o caminho pelo qual alguns tentam fazer caminho.
      Aqui.

      Nem gosto particularmente do Jason Unruhe, nem das suas mises en scene,que me abstenho agora de qualificar.Porque de facto não é tempo para questões desta última índole

      Nem das afirmações quanto às horas certas duas vezes ao dia como álibi para deitar água benta no que os idiotas dizem.Nem de abandonar a denúncia e o combate de tais "analfabetos funcionais".

      Todo o apoio a Cuba.Porque embora possam surgir dúvidas e perguntas,não é tempo para nos arrastarmos para os jogos de polichinelo tao caros a alguns.

      Ainda é de facto cedo para tirarmos conclusões . Ainda mais para afinarmos o coro tão habitual entre os treinadores de bancada,arrependidos ou não.

      Todo o apoio a Cuba livre.

      E lembrar "o grande mérito de Fidel Castro que, perante a incredulidade e a descrença de quase todos, em Setembro de 1998, profetizou em jeito de promessa: «Voltarão».

      De

      ResponderEliminar
    22. Anónimo27/12/14

      As «pretensões literárias que passam por cordel» dizem que a «Argália» e o «Dudu» têm um ponto em comum: ambos acreditam que Cuba deixou de ser socialista.

      Dou os meus parabéns a Cuba pela libertação de Ramón, Gerardo e Antonio.

      Foram 16 anos em cativeiro.

      Os três chegaram a Cuba no dia 17 de Janeiro. Juntamente com Fernando e René, tiraram uma foto com o presidente Raúl.

      Foi grandioso e histórico.

      Viva Cuba!

      Cuba sempre!

      ResponderEliminar
    23. Argala27/12/14

      Espero que seja feliz assim caro anónimo. Viva o benfica!

      Confrade De,

      Não gosta do caminho do caminho? Nem do Jason Unruhe? Eu sei. Mas eu não venho aqui só para o chatear. Há outras pessoas que vêm cá ler o blogue à procura de informação e debate. E felizmente são cada vez mais aquelas que estão fartas do reformismo e que combatem o revisionismo. Cada vez mais militantes abandonam o revisionismo, combatem as teses chauvinistas da "burguesia anti-imperialista" e o colaboracionismo da "unidade das classes anti-monopolistas"; cada vez mais militantes comunistas debatem a teoria revolucionária, querem aliá-la à prática revolucionária, querem enterram os programas oportunistas da cepa eurocomunista como as "democracias avançadas", querem enterram os "socialismos do sec. XXI" e toda essa ganga capitulacionista. Os militantes comunistas querem a revolução socialista, ponto final parágrafo.

      Os militantes comunistas não querem que lhes passem atestados de menoridade, e que lhes obriguem a repetir slogans uns aos outros. Querem perceber o que se está a passar. E a verdade é que o capitalismo está a ser restaurado em Cuba. Isso é um facto. E tem que ser discutido. Não queiram que o Raúl Castro passe, como outros, de herói a vilão da noite para o dia, daqui a uns meses, quando as empresas começarem a entrar para fazer os seus negócios e os sectores começarem a ser privatizados.

      O Raúl Castro já disse ao que vem: "Socialismo significa justicia social e igualdad, pero igualdad de derechos, de oportunidades, no de ingresos. Igualdad no igualitarismo". Foda-se, ele nem define socialismo como um modo de produção diferente do capitalismo. Já se desenvolveu o cuentapropismo. A taxa de desemprego em Cuba é hoje uma das mais altas da América Latina. Desemprego!?!? Nem sequer é suposto existir desemprego numa economia socialista. O desemprego estrutural é uma contradição das economias capitalistas que nasce da incapacidade de empregar toda a população activa e ao mesmo tempo reproduzir. Numa economia socialista planificada, toda a mão-de-obra é incorporada no processo produtivo através da escala móvel de horários ou da introdução de novos sectores produtivos. E portanto, a discussão sobre a restauração do capitalismo até já vem tarde.

      O De e outros, ainda não perceberam que as conquistas da Revolução Cubana se defendem ao ataque. Atacando o revisionismo. O seguidismo acrítico é onde morrem todas as revoluções.

      ResponderEliminar
    24. Anónimo27/12/14

      Hum

      Parece que argala quer uma tribuna.Uma tribuna dirigida aos veros comunistas e patati-patata.


      Primeiro Cuba.
      Cuba não precisa de facto dos ataques destes pequenos que ,armados com nicks com os quais se querem banhar com o perfume dos legítimos, mostram na sua prosápia de beato outras coisas.

      Demasiado patéticas para serem aqui traduzidas em letra de forma.

      Entendamo-nos.O tema do post não é argala.Este é um derivativo menor, trazido ao debate pela necessidade que ele tem de se assumir como o que quer que seja:Ou uma "linha justa" ( por favor não rir) ou um admoestador de massas tentado qual verdadeiro argala de trazer por casa trazer ao redil as massas afastadas do marxismo-leninismo.Tal como o patrono do argala o tentou fazer com a ETA.

      As histórias têm destas coisas.

      Primeiro Cuba que não precisa para nada destes ataques conduzidos pelos pastores das massas ignaras.Que precisa ainda da nossa solidariedade

      Mas depois de Cuba será mesmo preciso falar de argala,deste dandy encontrado feito de amores com Varela,e a pelejar arduamente para enterrar de vez os restos do 5 DIas? Sobretudo contra os veros comunistas que por lá debatiam?

      Vejamos

      De

      ResponderEliminar
    25. Confrade De,

      Os tempos estão complicados para o reformismo e para o revisionismo, e a prova disso é que você continua a não dizer patavina (nicles, nestum, nada..) quando discute com comunistas. Isto já vem do blogue 5dias. Mas quando você vai ao blogue dos larápios de velocípedes, discute muito e escreve muito, quase não parece o brolho que aparenta ser aqui. Porque você não veio aqui explicar que "O Argala está errado. Cuba é mesmo um país socialista por A, B e C; e Raúl Castro oferece as melhores garantias por X, Y e Z". Não! Isso era obviamente pedir demasiado.

      Eu acho que você escreve mais e debate mais com os pós-keynesianos-federalistas porque você fala a língua deles, você utiliza os conceitos deles, você pensa como eles. Tal como o João Rodrigues ou o Nuno Teles, você acha que a contradição entre reforma e revolução foi superada pela história, que esta já não é uma época de revoluções (isso acabou), que agora resta-nos jogar o xadrez institucional da democracia burguesa - e todas as outras tarefas que eram a prática revolucionária dos partidos comunistas são arcaísmos. Até a própria superação do modo de produção capitalista começa a ser um arcaísmo, pensam eles. Fazer uma revolução todos os dias, e um dia acordamos e isto já não é bem capitalismo, dizem eles. Resta-nos portanto seduzir o eleitorado, focando-nos apenas nas lutas imediatas e parciais - que eles um dia vão perceber e votar na CDU -, não "assustar" as pessoas, evitar a linguagem "muito de classe", lutar contra o "aventureirismo", o "obreirismo", o "imediatismo", o "esquerdismo". Acredite: compreendo-o perfeitamente. Conheço bem essa linguagem. E percebo que a linguagem que aprendeu não sirva para este debate, mas que sirva para debater com o José ou os larápios.

      Como lhe disse no início, os tempos estão complicados para a escola Albano Nunes. O revisionismo e o reformismo serão varridos para caixote do lixo teórico.

      Cumprimentos

      Cumprimentos

      ResponderEliminar
    26. Anónimo27/12/14

      O meu "vejamos"era mesmo para continuar.

      Devia saber isso o argala.

      Mas o tempo que tenho não me permite ficar feito revolucionário de sofá â espera que saia o último comentário..
      Certo?

      Podemos então continuar?

      Deixando para depois as orientações sobre os comportamentos de outrem e sobre os locais tidos como adequados pelo argala?

      E deixando para depois os pios " acredite que o compreendo perfeitamente" tão semelhantes ao palavreado sobre o Benfica com que pontua o seu discurso?

      Continuemos então esperando que o argala esteja mais uma vez no sofá à espera que.

      De

      Então

      ResponderEliminar
    27. Anónimo27/12/14

      Ponto prévio.

      Era bom que argala abandonasse os tiques de queixinhas ( pode-se confundir com o de bufos ,mas eu faço a separação) sobre os locais em que acho importante estar e comentar.
      O ladrões de bicicletas ( veja lá se corrige o título porque assim só mostra desnorte pouco revolucionário ou humor à espanholito) é um bom lugar para debater. As conclusões que tira sobre a coincidência das minhas posições com os que cita vêm da sua perturbada cabeça e é de espantar que alguém que peça explicações sobre Cuba ou o socialismo agora lance slogans sobre a minha pessoa, próprios do seu amigo jose (por mais estranho que pareça este jose já "debateu" comigo colocando-se ao lado de argala ( mas deve ser a estória do relógio parado certo duas vezes por dia,certo?)

      O que temos então?

      Um vazio.Um vazio desesperador em que argala outro remédio não tem mais que fazer copy paste da página 342 do manual dos revolucionários de sofá. Infelizmente para ele não é capaz de me citar para me colocar onde coloca.

      Sorry argala mas o caso muda completamente de figura consigo.

      E é a sua própria perspectiva do que vou dizer ( porque o vou citar) que motiva um tão triste como desesperado comportamento de me colar à pele a pele mais propícia para o seu mercadejar

      De

      ResponderEliminar
    28. Anónimo27/12/14

      Argala esteve desaparecido em combate.

      Bastos e longos anos.

      Coisa que sucedeu de resto com a fina flor dos designados ultra-esquerdistas que sumiram da face da terra neste Portugal à beira-mar plantado. Não , não cometo a indelicadeza de o comparar ao barroso ou ao José Manuel fernandes.

      O tempo que passou. O tempo passado que permite ver as coisas com uma perspectiva ainda mais lúcida e mais serena.E o tempo transcorrido tem, infelizmente para alguns, dado ainda mais razão a A.Cunhal.

      Quem desapareceu de combate não foi o PCP. Nem outros que, não o sendo, sendo até críticos, arrostaram com um combate desigual.

      Os outros, aqueles que precisam de flores na lapela com os símbolos revolucionários e nicks a lembrarem que eles já são crescidinhos apesar de andarem com os seus heróis escondidos nos cueiros ( fica melhor assim) esses desapareceram...durante anos

      Foi isto que escrevi aqui há tempos, com as correcções devidas, num blog chamado 5 dias e em que a extremosa Varela debatia no mesmo registo do "amigo" argala

      De

      ResponderEliminar
    29. Anónimo27/12/14

      O que o vero revolucionário argala respondeu?

      Cito-o ipsis verbis:

      "Continuem a mitificar o Santiago Carrillo português que vamos no caminho certo.
      As teses de Cunhal estavam certas, então não estavam?! Da democracia burguesa ao socialismo há um plano inclinado. É um caminho que se faz de forma pacífica, não são necessários aventureirismos. E quarenta anos volvidos, nós não temos a evidência histórica disso mesmo. E pelos vistos não apenas neste cantinho.
      Enfim, enterrem as ideias do Cunhal de uma vez por todas. Isso já cheira mal."

      E depois puxava o livrinho de citações do seu mestre e pumba ...as páginas 563 e 564 dos pensamentos daquele.

      O que espanta neste breve apontamento do perfil de argala é a sua ignorância histórica entre o que separava Carrillo e o PCE, de Cunhal e do PCP.
      Parecia que argala, para além de desaparecido em combate durante tantos anos, se entreteve algures a colar nos personagens a sua visão mistificadora e redutora dos factos. Com se vindo de espanha e não tendo levado a revolução a bom porto,investisse agora em Portugal e no PCP aspergindo os seus sonhos, pesadelos, amores ou ódios aprendidos na paisagem habitada por este enquanto vivia em espanha. Ou noutro lugarejo qualquer.

      (parece que já tem escola o pobre rapaz,...há uma escola Albano Nunes, complicada escola...uma escola Álvaro Cunhal que devia estar enterrada...e uma escola teórica para onde o argala varre o lixo...essa mesma escola onde o argala surge radioso , de crachat ao peito com a sua figura e de lenço na testa para lhe suster o suor do tempo passado na vertente teórica...do sofá)

      Há mais

      De

      ResponderEliminar
    30. Argala27/12/14

      Confrade De,

      Não há mais por onde puxar infelizmente. O Argala desapareceu em combate sim, já há algumas décadas. Presumo que esteja a falar desse e não de mim , porque de mim vossemecê nada sabe.. a não ser que agora estou no sofá a comentar no blogue e que acho que Álvaro Cunhal era reformista. Quanto a isso estamos de acordo.

      O que é que você quer debater agora? O Álvaro Cunhal? Porque é que não disse nada quando estalou o verniz e o Renato se pôs a atirar pedras aos santos no altar? Aliás, nem foi você que lá foi corrigir os erros que estavam no postal do Renato. Quem lá foi corrigir os erros foram aqueles que concordavam com a tese e não queriam transformar um debate importante numa cacofonia - que é o que você quer.

      Mas resumindo: sim, Cunhal era revisionista, sem desprezo por outros méritos da pessoa. Para saber isso basta ler o 'Rumo à Vitória'. Para além da estratégia de luta contra o fascismo, convém lembrar que as ideias revisionistas saídas do XX Congresso não foram um sapo que Cunhal teve que tragar por força dos alinhamentos políticos. Cunhal abraçou essas ideias e pô-las em prática, inclusive durante um período de crise revolucionária. Cunhal apoiou a glasnost e a perestroika. Em defesa de Cunhal, quanto muito, pode-se alegar que a maior parte do MCI afinou por essa batuta, o que é verdade, mas não altera a validade da tese.

      O que é que eu disse nesse trecho que cita que esteja errado? Sim, não há nada de substancialmente diferente entre Carrillo e Cunhal, só há diferenças de pormenor. Sim, a história não convalidou (pela enésima vez) as ideias do reformismo - que eram as ideias de Cunhal. A malvada da história está sempre a dinamitar o reformismo, mas ele teimoso emerge novamente. Aliás, estava logo ali a experiência chilena a chamar pelo Cunhal a ver se ele aprendia algo. Vaso ruim não quebra.

      ResponderEliminar
    31. Argala27/12/14

      E já que gosta tanto de vasculhar o baú dos comentários do 5dias, eu recordo o comentário do camarada proletkult acerca da matéria Cunhal/Carrillo/eurocomunismo (porque paciência para andar a escrever tudo outra vez..):

      " “o papel de Álvaro Cunhal na defesa dos princípios ideológicos que mantiveram o PCP afastado do eurocomunismo e da social-democratização”

      Permite-me discordar. Ideologicamente, Álvaro Cunhal pouco divergia de Berlinguer, Marchais ou Carrillo. Aliás, era mais próximo deles do que da própria URSS. Os conceitos chave do “eurocomunismo” podem ser encontrados no programa e na acção política do PCP: aceitação das normas e insitituições democrático-burguesas, aproximação aos anseios da pequena-burguesia, alianças com os partidos socialistas/sociais-democratas, a defesa do chamado “estado social”, o abandono de linguagem e prática revolucionária etc. Se formos ao esqueleto teórico do “eurocomunismo”, encontramos os mesmos ossos que encontraremos no PCP: as teses de Gramsci sobre a aliança de classes, as de Dimitrov sobre as alianças políticas ou as do PCUS sobre a coexistência pacífica. O “eurocomunismo” é a síntese destas teses. Ora o PCP aceitava isto, o pensamento de Cunhal era este. Porque razão o PCP não se juntou àqueles três partidos? Por uma questão de conjuntura. Por um lado, no final dos anos 70 o PCP vivia, ainda, num contexto político (o português) bastante diferente do de Itália, Espanha ou França: havia uma constituição progressista, um forte sector industrial e financeiro centralizado, uma reforma agrária, o próprio partido estava em expansão, controlava o mundo sindical e o PS era mais hostil (e mais à direita) do que nos outros países. Em suma, era um partido que estava numa posição ainda não, necessariamente, defensiva e de retracção política. Por outro lado, alinhar com o “eurocomunismo” era deitar ao lixo um património histórico, político, retórico e iconográfico de alinhamento com a URSS, algo a que o PCP não se podia dar ao luxo, sob pena de perder a sua fundamental coesão interna. Mais, o PCP dependia materialmente da URSS como nunca antes. Por exemplo, não era de lá que vinha a maquinaria agrícola usada nas UCP’s?

      Mas voltando a Cunhal, não tinha sido ele quem, por exemplo, não concordara com a invasão da Checoslováquia? Quem criticava, pela direita, “certos aspectos” da URSS e dos seus satélites? Já nos anos 80 Cunhal vem apoiar a perestroika e a glasnost. Suponho que Gorbachov foi um grande suspiro de alívio para Cunhal. Assim, conseguia apoiar o “eurocomunismo” através da URSS."

      Saudações anti-revisionistas ☭☭☭ :)

      ResponderEliminar
    32. Anónimo27/12/14

      Hum

      Vejamos

      Parece que argala volta a ter manhas ,não de bufo, convenhamos, mas de queixinhas.

      Agora lastima-se o pobre coitado de eu não estar presente a corrigir as atoardas do Renato. Pobre argala.

      Onde poderia eu ter estado?

      Será que devia ter ficado confortavelmente no sofá a corrigir as correcções dos dislates dos que corrigiram a cacofonia ?

      Confesso-me culpado de ter abandonado o sofá na mais preciosa altura

      De

      ResponderEliminar
    33. Argala27/12/14

      Não confrade De, você estava no sofá. Só que, como de costume, não estava a dizer coisa nenhuma.

      ResponderEliminar
    34. Anónimo27/12/14

      Posta esta correcção importante o que mais dizer se o próprio argala na a sua altíssima sapiência avançara já que não há mais nada para "puxar"?

      Será que as páginas 4784 - 4785 do tratado argaliano ( seja isso o que for) permite "puxar" pelas coisas onde não há mais nada a puxar?

      Ou seja, depois do pedido de argala para não se discutir o idiota acima citado
      (argala é useiro e vezeiro em tal estratagema.Pede consecutivamente para se deixar em paz tais "inimigos", porque estes já estão por si desmascarados.Prefere concitar os esforços contra Cuba - há que atacar diz- ou os seus ódios de estimação.

      Mas se mais não houvera a tirar do debate ( cito argala) mais não seria necessário ,porque este na sua omnipresente sabedoria afirmara já que me compreendia muito bem, naquele trejeito entre o mimoso e o pimpão.
      Repetira de resto algo parecido a respeito do Benfica, algo que estranhara ,vindo dum vero rebolucionário

      Não estou muito habituado ao jargão clubistico.Mas não deixa de ser curioso que o "camarada proletkult " um que o acompanhava habitualmente a segurar-lhe ( não as vestes) mas o argumentário e a quem carinhosamente chamávamos o argala 2 também aparece agora despojado das vestes revolucionárias e com o emblema do...benfica.

      Adiante porque o anedotário ainda não acabou

      De

      ResponderEliminar
    35. Anónimo27/12/14

      ( ah...afinal estava no sofá


      Diacho, mais outro contributo saído para a vera teoria revolucionária do coitado do argala.
      O poder da visão à super-homem. Sabia que eu estava no sofá mas a não dizer coisa nenhuma.

      Um caminho perigoso esse seguido agora pelo argala.Ele "sabe" .Ele "vê".Ele "percebe"

      tudo tão bem...)

      De
      C

      ResponderEliminar
    36. Anónimo27/12/14

      O comentário desse "camarada" --proletkuot- foi tirado aqui deste local do 5 dias.

      Para se ver o que por lá abundava, a "minha retirada " do sofá e a desqualificação do tratado doutrinário sobre o eurocomunismo desmontado com humor e em duas linhas pelo Samuel, pode-se consultar o post original
      ( um comentário meu de resposta a esse mesmo proletkult nunca viu a luz do dia,reparo-o agora.)

      http://5dias.wordpress.com/2013/11/11/pela-estrada-fora-com-alvaro-cunhal/

      ResponderEliminar
    37. Anónimo27/12/14

      Estão assim objectivados os objectivos de argala:

      -A catequização dos veros comunistas
      -A difusão do pensamento do camarada proletkult e do camarada argala, verdadeiras traves mestras do pensamento marxista-leninista-maoista-argaliano e seus veros depositários da genuína doutrina
      -A condução do rebanho transviado ao redil.Com a promessa de no fim lhes ser atribuído um certificado de maioridade e um pin a usar de acordo com os preceitos do camarada unruhe. ( que diz por vezes coisas muito acertadas)

      Cito:

      "Que diacho.A revolução não se fez mas os argalas desta vida associados a carrilos da outra vida estavam aonde? A esconjurar a culpa para os demais?A confirmar a sua impotência pelo facto de não terem seguidores, ou partido ou movimento e outras coisas mais?

      Ou a fazer tardiamente citações de outros como álibi para a sua fé inquebrável nas suas convicções e na nulidade absoluta dos seus actos?

      Estava mesmo ali a solução e ninguém viu, quase que lacrimeja argala.
      Os iluminados são assim

      Confrangedor e patético"

      De

      ResponderEliminar
    38. Argala27/12/14

      "desmontado com humor e em duas linhas pelo Samuel"

      Eu é que me desmontei a rir com a resposta do 'samuelquedas'. A malta quer discutir as ideias de Cunhal, o eurocomunismo, e ele quer falar de tractores.. é mais ou menos o que se passa aqui: eu quero discutir o socialismo em Cuba e um palerma anónimo quer que eu fale apenas dos três prisioneiros libertados (porque lhe apetece). E enquanto o rabo foge da seringa, andamos nisto.

      P.S. Não se queixe. A propósito da polémica Cunhal/Renato, três comentários meus de resposta a um escriba deste blogue nunca viram a luz dia. Vão ficar a faltar fascículos para você me compendiar tudo n' As Obras Completas do Comentador Argala'. Veja lá isso..

      ResponderEliminar
    39. Anónimo28/12/14

      Argala lastimava-se no post citado do 5 dias que o Bruno não queria discutir aquilo que ele, argala queria discutir.

      Cito-o:
      "Desculpa Bruno, mas tu não queres discutir as ideias e obra de Cunhal. E isso é uma pena."

      Tons de Dó menor?

      Argala agora quer discutir primeiro Cuba e o ataque necessário a Raul.Para depois discutir as massas e o revisionismo. Para depois discutir o eurocomunismo. Para depois discutir as três foices que devem obrigatoriamente assinar textos doutrinários de alta importância ?
      (Se possível com um trejeito de "riso" mal amanhado ,traduzido em dois pontos e um parentesis.)
      (e se possível sem falar nos inimigos de classe, porque esses, debita argala....)

      Esquece-se no entanto argala de duas coisas.

      Que estas discussões ( com mais nível muitas delas) já as tivemos com outros opositores,nos idos tempos de fogo do PREC .Com os resultados conhecidos.O desaparecimento em combate de muitos e a transfuga para o inimigo de outros muitos.

      Para desespero de argala nem uma palavrinha da nossa parte para animar o debate sobre o obreirismo , o imediatismo, o aventureirismo. Nem quase nada sobre o esquerdismo. As coisas hoje são bem mais prosaicas e resumem-se a um debitar tonto e acéfalo sobre a perestroika e sobre o eurocomunismo.Nem mesmo a sua dilecta amiga a varela ou o seu dilecto professor ( de ambos) o paço, têm contribuições tão avançadas para o disparate e para desbunda pseudo-revolucionária e tonta. Vaso ruim não quebra, diz.Estranha-se que o não diga em basco naquele trejeito tão típico entre o género.Porque infelizmente ( para argala) as páginas 4567 -4589 do livro de argala não provam nada.Só fazem afirmações gratuitas."Suponho que gorbachov foi um alívio etc e tal".Afirmações gratuitas e tontas que merecem a gratuitidade da ironia.

      Mas se a coisa está hoje muito mais prosaica e as provocações em jeito de semi-desespero não colhem, argala deixa no entanto uma última pista a recordar outros tempos e outras lides.
      O das escolas, dos grupos, das facções.

      Impotentes perante a sua porfia, sem exércitos e sem armas, sem doutrina revolucionária e a sua praxis , o que restava aos argalas desta vida senão confabular com escolas , classes facções, grupos?
      Lembram-se da missa e do breviário?

      A prova está aí em cima.Algures.Velhas manhas não se esquecem assim deste jeito.

      De

      ResponderEliminar
    40. Anónimo28/12/14

      Mas vossemecê, argala não percebeu que foi o seu camarada, adepto clubista e membro da sua liga, que falou em "maquinaria" daquela forma canhestra tão bem apanhada pelo Samuel?

      Que obrigou mesmo o proletkult a consultar o breviário e a corrigir o tiro?
      Ora leia-se lá tudo que está lá.
      Certo?

      Pois,nós sabemos que argala quer discutir o socialismo em Cuba para provar que o idiota citado no post tem razão duas vezes por dia.
      E quando o contrariam vá de chamar palerma a quem fala nos três prisioneiros, com aquele à vontade de pregador roufenho que se julga detentor das teclas do computador

      Tive o cuidado de explicitar ( já conheço o género) que Cuba em primeiro lugar, e que não ataco Cuba como um tipo que se julga apto a classificar outros de palermas o quer.
      O "andamos nisto" é a falta de troco encontrada pelo argala para as suas mises en scene.Mais uma vez citando Miguel Urbano Rodrigues, ainda é cedo para tirar conclusões da forma manhosa e provocadora como o "andamos nisto " o faz.
      E como tal não municiamos o inimigo.

      Sorry argala

      De

      Solidariedade com Cuba Livre . Já citei Miguel Urbano Rodrigues por aí sobre o tema. Não é tolerável é posições

      ResponderEliminar
    41. Anónimo28/12/14

      ( argala...por favor ...deixe-se de fitas tontas a lembrar aquele tipo de crachat ao peito e de cabeça a fazer de sim-sim ( ou não-não como quiser)
      Obras Completas...?
      De quem ?
      Comentador argala?
      Com iniciais maiúsculas a puxarem o lustro ao ego?

      Acho que o que vossemecê queria mesmo era que lhe publicassem as obras completas do Comendador argala...

      mais ao estilo do caricaturado por Eça

      De

      ResponderEliminar
    42. Argala28/12/14

      Argala não falava basco e em castelhano o provérbio não existe. A amiga Varela e o Paço estão no seu campo. O De anda distraído, não leu uma discussão onde o António Paço - que pelo menos discute política ao contrário do De -, chega ao ponto de comparar o sufrágio universal durante a Comuna de Paris, ou os sovietes, com ais actuais instituições burguesas, e a Raquel Varela diz que as revoluções não são violentas, que as contra-revoluções é que são. Tal como você, ambos acham que a revolução vai a eleições, ou que aparecem assim espontaneamente e que nós não temos nada a ver com o assunto.

      Você primeiro mete-me na caixinha do maoísmo e depois junto ao Paço e à Raquel. Ou vossemecẽ toma mais atenção, ou retiro-lhe a incumbência de me coligir os comentários.

      E vá.. leve lá o triciclo que esta sessão já vai larga..

      Um abraço aventureirista e quatro foices ☭☭☭☭

      ResponderEliminar
    43. Anónimo28/12/14

      Hum...

      se não se importa vou a pé...

      ( quanto à atenção,veja lá se lê melhor o que lhe dizem...Nem na caixinha do maoísmo nem o junto ao paço e a varela significa na mesma caixinha que.)

      De


      ResponderEliminar
    44. Anónimo28/12/14

      Porque, e isto custa-me dizê-lo,vossemecê parece mesmo uma fraude.

      Os recitativos tirados das obras completas de argala foram aqui já denunciados.Mas faltam os muitos outros e falta talvez desancar com mais vigor os disparates que escreve sem o mínimo pudor.


      Mas não é preciso.
      Este argala denuncia ele próprio o seu método de discussão e de argumentação.Nem ao contraditório escapa,pelo que os seus apelos pungentes para discutir o que quer discutir não passam mesmo de conversa fiada

      A prova?

      Quem diz esta coisa:"Tal como você, ambos acham que a revolução vai a eleições, ou que aparecem assim espontaneamente e que nós não temos nada a ver com o assunto." é um ...como hei-de dizer, sem cair na vulgaridade tão querida a alguns, com os seus "patetas " de estimação?

      É mesmo um ...fala-barato.

      Porque falta provar que eu defenda tal coisa ou que alguma vez tenha dito tal coisa ou algo sequer parecido.

      E assim se manipula.Também.

      De

      ResponderEliminar
    45. Parece que temos o caldo entornado por causa da orientação que Cuba está a seguir sem nos preocuparmos das razões porque isso acontece e ainda menos ter a capacidade de sabermos discernir a complexidade da conjuntura politico/económica que o mundo está a viver que faz com que os dirigentes Cubanos não tenham outra escolha senão ter que abrir uma parte da sua economia a empresas estrangeiras, em particular, Chinesas, Russas e Brasileiras.

      Meus prestimosos camaradas não têm que se assustar com tão pouco, porque aquilo que os dirigentes Cubanos estão fazendo é talvez o único caminho que têm para revitalizar e salvar a Revolução, isto porque no contexto atual de relações económicas a nível mundial Cuba não pode fechar-se mais, isto porque a fase mais critica do modelo económico Cubano ser subvertido a partir do exterior por influencia das empresas que venham a operar dentro do seu território já passou, foi noutro tempo podia ter acontecido noutras circunstancias mais desfavoráveis. Hoje que Cuba desferiu uma estrondosa derrota ao imperialismo Americano e aos lacaios que os seguiram obedientemente esse perigo está completamente afastado.

      Cuba naquilo que conseguiu fazer por si própria encontra-se hoje na dianteira a par dos países mais desenvolvidos, como por exemplo; dispõe de um sistema de ensino, segurança social e ciências médicas dos mais desenvolvidos do mundo. Mas já no tocante ao setor industrial, Cuba sofre de graves carências em consequência do bloqueio económico de que foi vitima durante mais de meio século.
      Portanto Cuba para conseguir sair dessa condição de atraso necessita de investimentos e tecnologias fornecidas por outros países.
      É precisamente por isso que empresas Chineses estão a investir nas energias renováveis.

      A Russa Gazpron está a efetuar pesquizas para encontrar petróleo no golfo do México.

      Os Brasileiros estão a construir o maior porto de contentores do Caribe.

      A empresa Bielorrussa MTZ vai construir uma fábrica de tratores e máquinas agrícolas, para uso interno e exportação para os países da região.

      Também já existem acordos economicos com o Irão.

      Ora é fácil compreender que Cuba não dispõe de meios para realizar todos os projetos de que necessita para se desenvolver, portanto tem que recorrer à ajuda externa e como tal essa ajuda só a aceita de países que não pretendam pôr em causa a sua soberania.

      Cont......

      ResponderEliminar

    46. «««««««...

      Por outro lado esses investimentos avultados não podem ser concedidos gratuitamente, têm que ser pagos de alguma forma. Isto a par das facilidades militares que Cuba está a conceder certos países.

      São precisamente estas coincidências que fazem despertar a “boa vontade dos yanques em estabelecer relações co Cuba”


      Camaradas por isso devemos usar de alguma prudência antes de começar-mos já a adivinhar catastrofismos futuros para aquilo que pode acontecer ao Socialismo em Cuba.

      Quem sabe se não será uma pequena NEP para o país sair do estado de estagnação em que se encontra em consequência do bloqueio criminoso imposto por os Yanques ?

      O grande perigo não é burguesia ter algum poder económico, o verdadeiro perigo é se a burguesia algum dia passa a controlar o poder politico. Aí sim já é motivo para ficar-mos preocupados.

      Senão veja-se os exemplos da China e da Bielorrussia. Será que esses países teriam alcançado o nível de desenvolvimento (em todos os aspetos) se não tivessem seguido o rumo que tomaram ? É que em qualquer desses dois países a burguesia detêm algum poder económico, no entanto está afastada dos órgão de poder não tem a mínima capacidade de decisão, além disso o Estado controla maioritariamente os setores chave da economia (mais de 80%).

      Já agora quero fazer uma advertência aos defensores intransigentes do Socialismo . Criticam as condições de exploração desenfreada (e desumana como dizem) imposta aos trabalhadores Chineses no entanto silenciam-se cobardemente perante a brutal e gritante desumanidade que é submetida a grande maioria dos trabalhadores Indianos, isto para não mencionar o Bangladesh.


      Ignoram ou fazem que ignoram as condições sociais e de miséria em que vive a maioria da população Indiana.

      ResponderEliminar
    47. Anónimo28/12/14

      Gostei muito de ler os comentários do «De».
      O «De» descobriu a careca do senhor «Argalas». Careca ou fraude?
      Bom, isso ficará para o leitor descobrir por si próprio.

      ResponderEliminar
    48. Anónimo28/12/14

      «De» tu mereces um brinde pelo teu trabalho em aturar o «fala-barato» do «Argalas».
      Sempre me pareceu que este «Argalas» era uma fraude pequena, mas hoje, depois das tuas intervenções propositadas e brilhantes, está tudo comprovado.
      Um abraço

      ResponderEliminar
    49. Anónimo28/12/14

      grande posta!!!

      ResponderEliminar
    50. Anónimo28/12/14

      Não sei que achar de mais ridículo no artigo do super-idiota, Duarte Marques: Se a fotografia de «palhaço» ou o artigo demasiadamente ideológico-parvo.

      O idiota nem percebeu que o pequeno golpe de charme de Obama foi apenas uma transmissão de propaganda ao Mundo, porque as relações entre os dois países continua a ser igual. Salva-se a troca de prisioneiros entre os dois países que deu origem à libertação dos três heróis, Gerardo, Ramón e Antonio que Duarte Marques não sabe, nem quer saber.

      Aliás, a postura destes cromos fictícios puxados da cartola da JSD é mesmo a de uma ignorância tacanha e estúpida, talvez até «borrega» no sentido de desconhecerem as realidades em causa e partirem para a ficção que lhes é transmitida via «Sapo Notícias» ou «Sic Notícias» ou comentários enviados pela «Facebook». Estas notícias, são a propaganda «made in USA» e que a televisão de cá transmite a tempo inteiro.

      Por exemplo, decorrem incidentes entre a polícia e a população africana americana. Em vez da notícia em directo sobre estes assuntos, como faz a «RT» ou a «Press TV», a nossa televisão dá pequenas notícias relacionadas com a vida doméstica dos americanos (sempre na onda da propaganda).

      Assim, os «crominhos de nenufar», como o Duarte Marques nada entendem e pensam até ser espertos no meio das parvoíces que escrevem nos jornais dos seus primos e amigos.

      Infelizmente, para o Duarte Marques e o fala-barato do «Argala», Cuba continua a ser socialista. Se não fosse, não haveria a festa que foi o recebimento dos três heróis cubanos. Para infelicidade da fraude «Argala», os três heróis são socialistas; não são capitalistas.

      ResponderEliminar
    51. Caro Argala,

      Desculpe a demora desta resposta, mas ando em mudanças!

      Normalmente, concordo com as suas opiniões mas desta vez creio que está a cair num purismo que o afasta da realidade. O Argala pensa na construção do socialismo como uma linha recta traçada a régua e esquadro. Não é: também Lénine compreendeu a necessidade do NEP, também Estaline compreendo a necessidade de coexistir pacificamente com Estados capitalistas.

      Neste caso, deve pensar nas alterações vividas em Cuba à luz do contexto macro-económico daquele país e das fortes pressões pressões que o mundo capitalista exerce sobre uma ilha socialista, literalmente cercada pelo sistema inimigo.

      A actualização do modelo económico Cubano não põe em causa nenhum dos pressupostos essenciais do socialismo: o poder continua nas mãos dos trabalhadores; os sectores chave da economia são públicos; a exploração da mais-valia mantém-se, com excepções quantitativa e qualitativamente pouco relevantes, ilegal; os direitos sociais mantêm-se, etc.

      Pense no que se passa em Cuba como uma NEP caribenha e não como uma abertura chinesa. Não são a mesma coisa. :)

      ResponderEliminar
    52. Anónimo29/12/14

      Muito bem, António Santos. É isso mesmo.
      Basta ver o que os cubanos fizeram, à pouco tempo, na questão das pequenas hortas, com apoio do estado.
      No entanto, os «Argalas» cá do sítio pensam com duas palas bem encostadas aos olhos. Os «Argalas» sempre foram iguais e normalmente não mudam.

      ResponderEliminar
    53. Argala30/12/14

      António,

      Bem-vindo a debate.

      Eu não vejo a construção do socialismo como uma linha recta. O que faço é identificar os avanços, os recuos e posicionar-me nas contradições. E embora ainda não saibamos tuo sobre quais serão as reformas de Raúl decorrentes do actual processo, não é difícil imaginar. Portanto identificámos um recuo. Qual a diferença? O António vê nesse recuo uma necessidade para preservar o sistema socialista; eu identifico-o como mais um passo no desmantelamento do socialismo e para a restauração do capitalismo.

      Peguemos no exemplo prático coreano: o país precisa mesmo de importar cereais. Não é uma importação que se possa substituir por falta de solo fértil. A moeda estrangeira arrecadada com a exportação e o pouco turismo é insuficiente, e o estado vê-se obrigado a abrir parques industriais para vender trabalho e arrecadar divisa. Permite-se a exploração da mão-de-obra num país socialista, mas para resolver um problema que de outra forma não tinha solução. A alternativa era passar fome. Portanto eu não sou purista, admito a introdução de lógicas contrárias as socialismo, mas indispensáveis à sua sobrevivência.

      No caso de Cuba, temos então que voltar a fazer as perguntas: quais os problemas económicos que todas as alterações introduzidas desde a queda da URSS vieram resolver? O que é que o cuentapropismo e o despedimento de 500 mil funcionários públicos resolveram? Qual o problema concreto de habitação que a nova lei do mercado imobiliário vem resolver? E a lei de investimento estrangeiro? O que acha o António que significará o plano para a unidade monetária? Como é que é possível que uma economia socialista tenha hoje taxas de desemprego superiores a economias capitalistas (?!?!) quando não é suposto existir desemprego sequer.

      Em termos internacionais nós estamos num período de fragmentação, mais desfavorável a quem impõe o bloqueio. E a minha intuição diz que todas estas reformas introduzidas por Raúl Castro não respondem a uma situação de maior hostilidade internacional, nem respondem a um problema concreto - de repente o socialismo encalhou num conjunto grande de problemas inultrapassáveis?! Quais?! Porque razão é que as reformas referem apenas a "modernização" do socialismo e não esses problemas concretos?!

      Quantos não destruíram o socialismo dizendo que o estavam a defender?! Isto é experiência recente aliás. Quem está ao leme nunca deixará de defender o "socialismo" e a "revolução", como é óbvio!! Isso era ir contra um património discursivo de décadas.. o que fazem habilmente é estender o conceito até ele perder o significado. É mais ou menos como a nossa constituição que também caminha para o socialismo..

      Já vi este filme.. chama-se perestroika. Agora cada um que se posicione perante as contradições.

      Cumprimentos

      ResponderEliminar
    54. Argala30/12/14

      P.S. Lá em cima enganei-me. O que queria escrever é que Cuba tem das mais altas taxas de desemprego de sempre.

      P.P.S. O debate dos anos 50 era precisamente sobre o que significa coexistir pacificamente. Conceito que os revisionistas deturparam para fazer avançar a sua agenda liquidacionista do movimento revolucionário. Ter uma situação de equilíbrio estratégico com o inimigo não é pactuar com ele nem dividir com ele as zonas de influência, condenando os comunistas ao reformismo.

      A utilização da NEP para tudo e um par de botas insere-se na mesma lógica.

      Cumprimentos

      ResponderEliminar
    55. Anónimo31/12/14

      O "lá em cima enganei-me" é um eufemismo
      Argala "engana-se" em toda a linha. Argala assume o seu combate acérrimo contra Cuba, alinhando decisivamente ( quantas vezes "isto" já foi visto?) nos que se apressam a enterrar o socialismo em Cuba.

      Conta provavelmente com os seus camaradas liquidatários de alguma ETA e conta qual serras pereira com a aliança globalizadora revolucionária para a tarefa?

      Pelo meio invoca a perestorika ( não do jeito tão néscio e desonesto com que tentou identificar Álvaro Cunhal com a dita), usa a sua "intuição" ( já adivinhada com os seus "suponhos") método de análise adequado ao sofá,admite "recuos" mas de acordo com a sua identificação peculiar dos ditos, exorciza os seus fantasmas pessoais recorrendo ao "debate dos anos 50 sobre a coexistência pacífica, e faz o seu papel de argala revolucionário ao recitar a tese liquidacionista revisionista, escondida nas malhas ardentes de quem chora já o defunto com a sobranceria própria dos que objectivamente vão ao encontro dos interesses do imperialismo americano.

      Sim , eu sei que argala nao gosta que lhe lembrem alguns actos tão primários como este.Mas a incompreensão das de certa forma marionetas "marxistas europeias" face aos fenómenos revolucionários da America latina tem uma longa tradição. Tão longa que já ouvi valentes semelhantes a argala citarem frases de Fidel quando ele contesta, no início do processo revolucionário em Cuba, o socialismo, como prova do carácter pro-império de Castro.

      Os compassos e os esquadros nunca foram grandes instrumentos de aferição da realidade social.Quando se associa a tal a frustração pela incapacidade de condicionarem o curso da História, resultam assim discursos repetidos ate quase à náusea, velhos de décadas mas que agora crepitam de novo por aí, mais uma vez atestando a sobranceria de alguma intelectualidade,ofendida com o facto de não lhes seguirem a doutrinação "correcta" da História.

      Por isso esta conversa é um deja vu dos messias em busca da doutrinação das massas já que das massas não têm a compreensão desejada. E ainda avinagram com a invocação da NEP que lhes transtorna por momentos a pureza doutrinária e o messianismo petulante.

      É uma chatice quando as botas que querem calçar ao presumido cadáver não assenta bem ao putativo defunto.Mas o mal para estes não está nas botas.Está sim no cadáver que não se acoita às suas medidas

      Não há por aí uma escola ou facção que possam invocar como prova de vida, sem ser no conforto das pantufas,que assumem piamente como veras e ferozes botas?

      De

      ResponderEliminar
    56. Anónimo1/1/15

      Boa, «De», gostei muito de ler a tua resposta à fraude «Argala».

      Porém, não deixo de notar um certo incómodo no discurso do «Argala» ou «Argalia».
      Esse incómodo é próprio daqueles que já deixaram de acreditar na luta e no socialismo e, assim, começam a preparar outro caminho, mais próximo das vias percorridas por Rui Tavares, Pacheco Pereira, Nuno Ramos de Almeida e afins.

      Para os «Argalas» ou «Argalias» cá do sítio, quando não se sentem bem, mostram incómodo ou armam uma pequena representação, para depois aparecer, mais tarde, com um emblema de algum partido neo-liberal.

      O problema deste dito «Argala» que escreve sobre Cuba, como se lá vivesse, é que o discurso fede a enxúndia de galinha, quase igual ao artigo do Duarte Marques do «Expresso».

      Os dois estão bem um para outro.

      ResponderEliminar
    57. Anónimo29/1/15

      Isto é simplesmente triste, todo o artigo, todos os comentários... Uma coisa é expor corrupção, outra é rebaixar alguém simplesmente. É neste e noutros momentos que questiono a "Banalidade do Mal" de Hannah Arendt. Porque aqui só vejo maldade, nada de produtivo. Lamento ser esta a realidade que defendem: faça-se da justiça uma injustiça maior. Lamento por vós e por quem por vós é atacado. Espero que apenas aprendam que hoje se aponta o dedo, amanhã se inverte e que no fundo guardar rancor nunca levou ninguém a lado nenhum.

      ResponderEliminar
    58. Li tudo; caber tanta imbecilidade numa criatura é obra!!!

      ResponderEliminar