Violência e tortura policial - quando os sinos tocam

13.3.14

Chamemos-lhe Duarte. Vive num bairro pobre de Lisboa. Duarte está desempregado há vários anos. Tem 20 anos e não tem qualquer subsídio ou protecção social. A mãe trabalha sete dias por semana, a limpar casas, de uma ponta à outra da cidade. Tem uma irmã pequena que adora. O pai, não me recordo o que faz.

A mãe dele conta-me que todas as semanas há rusgas no bairro. Muitas vezes atrasa-se porque a polícia entra nos prédios e não deixa sair de casa.
O Duarte cresceu a repetir aos pais que «a polícia e a justiça servem para nos proteger».
Sexta à noite saiu com os amigos e foi até ao Bairro Alto. Beberam uns copos e um deles meteu-se com uma miúda.

Chamemos-lhe Marta. Estudava numa escola de ensino artístico. Tinha 16 anos. É de uma juventude partidária. Politicamente activa, já estava habituada a ver vários carros da polícia a rondar a sua escola - secundária. Eles diziam que por ser uma escola de «artistas» tinham todos «a mania».

Chamemos-lhe Pedro. O Pedro estava sempre nas manifestações. Um dia não voltou a casa para ir ter com os seus pais que já tinham regressado da manifestação. Ligavam-lhe mas o telefone estava desligado.

E então?

O Pedro, desapareceu, depois da manifestação. Já a regressar a casa, perto dos comboios, viu uma fila de polícia de choque que corria em direcção a todos os que se encontravam ali. Bateram-lhe nas pernas com o bastão e ele caiu. Arrancaram-lhe a mochila dos ombros e algemaram-no com fitas de plástico que lhe cortavam os pulsos. Tiraram tudo o que tinha consigo. Ficou dentro de uma carrinha quase uma hora sem saber para onde ia. Enfiaram-no numa cela, onde cabiam duas pessoas. Estavam 5. E mais 5 na cela ao lado e assim sucessivamente. Ninguém podia contactar os pais (eram todos muito jovens, um era menor). Ninguém podia contactar um advogado. Estiveram 4 horas detidos sem que ninguém soubesse deles. O pai do Pedro ligou-me em pânico. Ao chegar ao sítio onde estavam detidos, a polícia ameaçou deter-me porque eu insistia que eles tinham direito a contactar um advogado. Era de madrugada. Os pais e o avô chegaram. Por mais anos que passem não me vou esquecer da cara de cada um deles: o filho estava desaparecido. Ninguém sabia o que lhe acontecera. O avô, que foi um preso político durante o fascismo, não queria acreditar no que aconteceu.

A Marta era menor. Pintou um muro à frente da escola com palavras de luta. Estava com 5 amigos. Chegaram duas carrinhas e dois carros da polícia. Começaram aos gritos com eles e enfiaram-nos nos carros. Chegados à esquadra, a Marta e as suas amigas - só as raparigas - foram enfiadas em celas diferentes. Tiraram-lhes tudo, não puderam contactar ninguém. Foram despidas, insultadas, revistadas. Porquê? Andavam à procura de droga. Que não procuraram sequer nas suas mochilas. Ficaram detidas mais de três horas. Os pais foram chamados depois de tudo isto. No dia em que enfrentou um julgamento contra ela, a mãe dizia-me que não acreditava no que estava a acontecer. Lembro-me que a Marta vomitou e estava assustada.

O Duarte. O Duarte foi levado para a esquadra. «A esquadra da morte» chamam-lhe alguns. Foi colocado numa sala. Separado dos amigos. Despiram-no. Deitaram-no no chão com as costas para cima. Começaram a pontapeá-lo enquanto o insultavam. Diziam-lhe que abrisse as pernas para o pontapearem nas coxas. Ele tentava explicar que não fez nada. Continuavam a bater-lhe. Saía um vinha outro. Ele tentava dizer novamente que nada tinha feito. Continuaram a bater-lhe. Passaram as 3, 4, 5, 6 da manhã. Bateram-lhe ininterruptamente. O Duarte pediu que não lhe batessem na cara. Pelo menos a isso acederam.
Espancaram o Duarte e todos os seus amigos. A mãe ligava de manhã sem parar. O telemóvel estava desligado. Chegou a casa às 11h30 da manhã. Não se mexeu mais durante o dia. Na segunda foi ao hospital. Os braços estão inchados e pisados. Tem várias fracturas nas costas. Não consegue dormir porque não tem posição. As pernas estão todas pisadas. A mãe nem consegue olhar. O Duarte não tem dinheiro para um advogado ou para pagar as custas de um tribunal. Ainda assim tem que ir à segurança social (onde tem mais de cem pessoas à sua frente) para pedir apoio judiciário. Já foi pedir os papéis que a burocracia manda. Pediu uma máquina emprestada para fotografar as lesões. A mãe está com o coração apertado. Fala com amigas que lhe dizem que aquela esquadra, a do Bairro Alto, é assim. (é assim!!!)
O Duarte disse à mãe, «eu cresci a dizer-vos que a polícia e os tribunais existem para nos proteger».

Com a Marta e com o Pedro as queixas à Direcção Nacional da PSP foram arquivadas. As queixas-crime foram arquivadas. As queixas à Procuradoria Geral da República foram arquivadas (pior, até resultaram num aperto dos procedimentos). Só com a Marta lá houve um polícia que foi suspenso, num procedimento disciplinar instaurado pela Inspecção Geral. Mas nem se sabe qual é o agente nem sequer se esteve envolvido nas detenções. Mas que não foi ele quem a despiu e insultou não foi.

Todos os nomes são fictícios. Todas as histórias são relatos fiéis.
O Duarte foi torturado no dia 8 de Março de 2014. Continua quase sem se conseguir mexer. E sabe que não pode aparecer no Bairro Alto, principalmente depois de apresentar as queixas porque correrá o risco de não sobreviver. Como achou que não conseguiria sobreviver durante as várias horas em que o espancaram, pontapearam, puxaram cabelos, insultaram. 2014.

Relacionados

  1. Como é que isto é possível?

    ResponderEliminar
  2. ditosa pátria que tais filhos "de pute"tem

    ResponderEliminar
  3. Um cenário de terror: os inocentes às mãos de verdugos ...; fico na dúvida quanto ao regime a invocar: fascismo, comunismo, nazismo?

    ResponderEliminar
  4. Anónimo14/3/14

    Um relato impressionante.

    O fascismo de facto ronda.José faz apenas o seu papel.Relembra-se o josé quando defendia os torcionários e lhes aconselhava darem uns "safanões a tempo"?

    Um pequeno pulha é assim.O seus confrades também incendiaram o Reichstag e tal como o josé tentaram empurrar as coisas para o lado dos comunistas.

    O josé faz assim o serviço ao serviço da esquadra do bairro alto

    De

    ResponderEliminar
  5. DEPOIS OS VERDUGOS DA PSP QUEREM QUE O POVO OS APOIE NA SUA LUTA PARA SE COLOCAREM ACIMA DOS DEMAIS CIDADÃOS, QUEREM SER IMPUNES NUM ESTADO POLICIAL ONDE A POLICIA SE ENCONTRA ACIMA DE TODAS E QUAISQUER LEIS. SE ALGUM DIA FIZEREM ISTO A UM FILHO MEU, JURO QUE MORRERÃO MILHARES DE POLÍCIAS EM PORTUGAL, ANTES DE TOMBAR, MUITAS VIÚVAS E ÓRFÃOS DE VERDUGOS SERÃO UMA REALIDADE BEM PORTUGUESA, QUE ATÉ NÃO HÃO-DE TER SEQUER VOLUNTÁRIOS PARA ENVERGAREM A FARDA DE CARRASCOS DO SEU POVO, INFELIZMENTE, HOJE PARECE QUE A FLORESTA AFINAL ACOLHEU O COMPORTAMENTOS DE ALGUMAS ÁRVORES PODRES E PARECE ESTARMOS A CAMINHAR PARA UMA FLORESTA DE PODRIDÃO FÉTIDA QUE AINDA NÃO SOUBE REALMENTE O QUE É A VERDADEIRA GUERRILHA URBANA CONTRA AS FORÇAS REPRESSORAS PSP E GNR E ESPERO REALMENTE, QUE NUNCA O VENHAM A SABER, CONTUDO!.... A ESCOLHA SERÁ DELES.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo14/3/14

    Francamente ainda me custaria acreditar, se não tivesse acompanhado de perto um caso quase caricatura deste há 19 anos numa esquadra dos arredores de Lisboa; mas claro que não chegou nem por sombras a tal ponto!... Mas uma coisa tem em comum: o governo era da mesma cor que agora!

    ResponderEliminar
  7. Eu me confesso: 'safanões a tempo' tenho-o por método educacional comprovado por milénios de experiência. E polícia é etimológica e objectivamente o respeitar/zelar pelo cumprimento de regras.
    Safanões não significa violência desproporcionada e muito menos exercício de temperamentos irreprimidos ou mentes sádicas.
    Mas alguém anda por aí a fazer confundir o papel da polícia com o dos assistentes sociais ou dos psicólogos comportamentais!
    Já para não falar que um chapo num puto malcriado virou caso de polícia...

    ResponderEliminar
  8. Anónimo14/3/14

    O crescimento da violência policial assim como da violência social praticada por este governo, são sinais de um capitalismo em fase de agonia a abrir portas ao fascismo.

    Há que travar este rumo de coisas e lutar por uma verdadeira democracia.

    A.Silva

    ResponderEliminar
  9. Anónimo14/3/14

    Bom dia.

    Eu sou espanhol e a violência policial sempre estive muito presente no nosso pais. As torturas à vascos, imigrantes e militantes da esquerda nunca desapareceram.

    Eu conheço a vossa história. Eu tenho lido e estudado e tento conhecer cada dia mais sobre o Portugal e a sua política. E há coisas que fazem-me pensar que não há nenhuma diferença entre o vosso pais e o meu. Nenhuma. O processo de desenvolvimento capitalista está esgotado, não há mais revoluções democráticas possíveis, não há sectores da burguesia progressista. Além, a pequena burguesia não é progressista.

    O quê fazer?

    A nossa classe, a classe operária têm tudo para ganhar e nada a perder. Estamos a receber ornados que não dão para viver, como é que vamos aguentar?

    É por isso que a classe operária deve dirigir a luta, e os seus objectivos são os que têm de estar ao frente. E qual é que é o interesse dos trabalhadores? Instaurar a sua ditadura, a ditadura dos trabalhadores contra os monopólios. As vezes pensamos que não há hipótese, que os trabalhadores ficariam assustados se falamos do Socialismo, mas eu não acredito. Quando conheço trabalhadores a lutar, mães a sofrer, filhos sem emprego, a emigrar... eles sempre percebem que só na sociedade Socialista, dos trabalhadores, é que alguma coisa pode mudar.

    Não há futuro para a nossa classe dentro do capitalismo, não há política alternativa aqui. É que não aprendi-mos nada da história, do golpe contra Allende, da destruição de todas as conquistas de Abril, tudo por não ter conquistado o poder político e criado a ditadura do proletariado?

    As camadas intermédias da população, os agricultores empobrecidos, os pequenos proprietários em processo de proletarização... eles todos têm de acompanhar a luta dirigida pelos trabalhadores, pela destruição total do capitalismo.

    Não há propriedade privada dos meios de produção e democracia para os trabalhadores. Não há um capitalismo de rosto humano.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo14/3/14

    Comecei a ler, a curiosidade foi aumentando e a incredulidade também, seria possível uma coisa assim? Em que país têm tais procedimentos?
    Os noticiários todos os dias nos trazem notícias de barricadas, torturas, mortes, fiquei desconfiado então, uma coisa deste calibre só podia ser na Venezuela, onde, dizem as notícias e os "papagaios" de serviço, se passam horrores, pudera há uma revolução, vejam lá, sim só podia ser para aqueles lados, mas, falavam em bairro alto e de facto eles têm por lá uns bairros bem altos encarrapitados nos montes, mas fiquei desconfiado, seria possível acontecer tudo o que aqui se descreve e não dar no telejornal, teria escapado o facto à CIA à NSA às fontes de informação, bem informadas, que tudo divulgam pelo mundo?
    Hum, concluído o artigo, vejo agora que tudo se passou por cá, onde os direitos humanos são respeitados sempre, e não lá pelo país do Chavez onde não ligam peva a essas coisas, pelo menos do lado da oposição, fiquei esclarecido, por vezes a informação que bebemos todos os dias pode atraiçoar a nossa mente principalmente se não concluirmos e não aprofundarmos a informação que nos chega, ou andarmos a ler informação tendenciosa e não a que vem já devidamente filtrada das centrais de informação como deve ser, há papagaios que falam e zelam por nós, assim fiquem mais descansado é duro o que li, mas tenho a certeza de que foram respeitados o direitos humanos de quem levou porrada, nós somos falados no mundo mas não por casos destes, felizmente, mas sim por sermos um povo de bananas que come e cala ordeiramente!
    HUffff.

    ResponderEliminar
  11. Anónimo14/3/14

    José, como assim comunismo??

    ResponderEliminar
  12. Anónimo14/3/14

    O Zé faz-se de tolo, mas não aprende nada, e vem aqui tentar provocar, mas não aprende nada, todos os dias de encomenda, mas não aprende nada. Os tolos são perigosos mas aqui ajudam-nos a combater a tolice.

    ResponderEliminar
  13. "Como assim comunismo?"
    É um dos três regimes políticos que conheço que estabelecem estados totalitários, única condição em que a lei pode ser ignorada ou formulada por forma a consentir a impunidade dos verdugos.

    ResponderEliminar
  14. Anónimo14/3/14

    O anónimo das 12 e 58 está coberto de razão.
    Este texto de Lúcia Gomes não pode ser dum país onde os "direitos humanos" são respeitados.
    Por cá não existe disso.Nem existem "coisas" que repliquem frases como esta:"'safanões a tempo' tenho-o por método educacional comprovado por milénios de experiência", reproduzindo quase ipsis verbis salazar, um néscio e pútrido fascista,adepto dos métodos adequados para quem não lhe seguisse as pisadas das botas cardadas.

    Nem há de certeza "coisas" que se desculpabilizam com "exercício de temperamentos irreprimidos ou mentes sádicas", numa outra amostra mais de cumplicidade com a violência dos "filhos de pute" como alguém aí em cima dizia.A tentativa nauseabunda de acantonar a comportamentos individuais o sucedido, choca de forma gritante com o relato dos factos por parte da Lúcia, onde textualmente ela afirma:"as queixas à Direcção Nacional da PSP foram arquivadas. As queixas-crime foram arquivadas. As queixas à Procuradoria Geral da República foram arquivadas (pior, até resultaram num aperto dos procedimentos)".

    Nem por cá há primárias e boçais criaturas que tentem justificar a sua tendência para a violência gratuita e fascistóide com base em "experiência de milénios".Um argumento usado pelos esclavagistas durante muito tempo para defenderem o seu status quo ou pelos beatos eclesiásticos para justificar a eterna submissão à lei do mais forte.

    Há por aí quem defenda"um chapo num puto malcriado " .Diga-se que os conceitos de "chapo","puto","malcriado"não são lineares e podem ter interpretações as mais diversas, como a História o tem demonstrado.Mas mesmo que os dois últimos destes termos se pudessem aplicar com toda a justiça ao "josé", verdade seja dita que não defendo de forma nenhuma o método do "chapo" utilizado neste ou em qualquer outro.

    Que diacho.Há de facto uma diferença abissal entre quem é anti-fascista e quem defende a barbárie, como este José.
    E tal facto é motivo de particular orgulho

    De

    ResponderEliminar
  15. Anónimo14/3/14

    José, o defensor dos verdugos, como por mais uma vez o tem demonstrado, atira agora com um slogan típico do seu comportamento.Desta forma tenta esconder a sua admiração pelo fascismo e o seu carácter de candidato a vulgar torcionário.

    Mas o que de facto este josé pretende é ocultar o denunciado pelo Lúcia neste post soberbo. Ei-lo atarefado a tentar fintar os factos, a procurar desmentir o sucedido, a lutar pela confinação aos tais sádicos, a desculpabilizar toda a hierarquia policial ( que como se sabe termina num ministro deste governo de terroristas sociais) ,enquanto da forma peculiar que se conhece tenta arrastar a discussão para outros sítios.

    Há pouco josé, ufano, debitava uma frase de salazar,("safanões a tempo") daquela forma exemplar de admirador de tal fascista.
    Agora tenta aplicar uma outra frase: ""Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade"
    Esta última é de goebbels e costuma ser utilizada pela gente que lhe bebe as águas.

    Entretanto os seus métodos e ronhas são desmascarados.Em toda a sua plenitude o texto deste post aponta numa direcção. Por mais que josé se esforce, sobra apenas a canalhice de quem assim procede e de quem se torna cúmplice com tais práticas

    De



    ResponderEliminar
  16. DE, é para mim um embaraço esta sua crónica atitude de exponenciar e rebater tudo o que digo com uma verve deslocada e excessiva.
    Mas também me confunde o seu reincidente desrespeito pela Língua usando palavras de que desconhece o sentido. Chamar néscio (ignorante, inepto, estúpido) a Salazar, só desqualifica a sua opinião, por néscia, se quisermos dizer o mínimo.

    ResponderEliminar
  17. Anónimo14/3/14

    Néscia gente que da sua gente não a tem por néscia.

    Acontece.
    Mas é sempre cómico ver um neoliberal admirador néscio dum néscio e pútrido fascista dissertar sobre o fascismo.
    Enquanto exaltado salivava pelos "safanões a tempo" pelos "chapos" adequados mas sobretudo pugnava pela tentativa de esconder os factos desta forma tão néscia.

    Acontece

    De

    ResponderEliminar
  18. Anónimo14/3/14

    Isso mesmo
    Mas que josé deixe de amuar pelo facto do seu ídolo ser qualificado como néscio...
    (Salazar um medíocre fascista com um espírito mesquinho e...néscio. Confirmado por aquele levantar da pata néscio e revelador,imitando nesciamente mussolini ou hitler.)
    https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRVlCwHwOkhGl76CMjmAKVAQN8xPxf7O3RyGZKoN_PDSXXYd_aEQw

    Mas a polémica em torno das adjectivações ao mestre de josé são apenas o pretexto encontrado por este para esconder a denúncia do acontecido com "Pedro, Marta e Duarte".

    É bom não esquecer o que é debatido e denunciado.E não embarcar nos piropos ao canalha que apodrece há anos e que apodreceu Portugal

    Sorry josé oliveira

    De

    ResponderEliminar
  19. Não vou ao ponto de considerar Salazar um néscio. Isso seria desresponsabilizar a besta dos crimes que cometeu.

    Salazar e a sua corte de fascistas, eram um bando de criminosos muito "competentes" que tinham consciência daquilo que estavam fazendo.

    Embora usando o lema " A Bem da Nação" mas tudo o que fizeram foi para a manter no atraso, e obscurantismo nagando ao povo os direitos fundamentais (saúde,ensino, cultura, trabalho, assistência na infância e na velhice) .

    E nas colónias esta situação foi terrivelmente pior.

    Por isso mesmo considero que Salazar não era nem néscio, nem estúpido,ainda menos tinha noção do que estava fazendo.

    Salazar era um fascista um criminoso que esteve sempre ao serviço dos interesses de uma minoria burguesa, uma classe dominante de parasitas , em detrimento dos direitos da maioria da população que se encontrava sob a sua tutela.

    Por isso mesmo os crimes que cometeu nunca podem precrever.

    A ele já não lhe podemos pedir contas, cumpre-nos agora levar perante a justiça os seus herdeiros que estão por aí a aparecer de novo.



    ResponderEliminar
  20. Anónimo15/3/14

    estamos claramente perante uma vitima da sociedade...
    tabta gente no bairro alto e em manifestações e ele foi o "escolhido"... de certeza que alguma coisa fez mas isso não comenta!
    e os relatos das agressões certamente são exageradas se não já estavam na tv ou nos jornais! apesar de não dever exisitr tortura, quer dizer depende dos casos, porque há pessoas bem piores que animais

    ResponderEliminar
  21. Anónimo15/3/14

    São todos uns "coitadinhos"....vítimas de brutalidade policial, não estavam a fazer nada!!!!!
    Aliás neste País nunca se faz nada, e lá aparecem ELES, para nos reprimir, só porque pintamos o muro do vizinho, ou atiramos pedras àqueles bandidos que nos reprimem, ou só porque apalpámos a mulher de outro!!!!
    Cambada de facistas!!!!!

    ResponderEliminar
  22. Anónimo15/3/14

    Caríssimo Cin Gori:
    Compreendo a tua posição sobre salazar e também o considero" competente"naquilo que fez.Também acho que sabia perfeitamente o que estava a fazer.e que a responsabilização dos seus actos e do seu"legado" é um imperativo legal.político, económico e ético.
    Tal como compreendo que as entranhas do josé se revolvam perante quem ouse afrontar o mito da "inteligência" do ditador fascista.

    Mas vejo as coisas num outro plano.Num "deve e haver" mais amplo.Salazar defendeu os interesses duma minoria,governou em função dessa minoria,mas de acordo com um registo medíocre,atabafado, mesquinho.Enveredou nitidamente pelo caminho do crime mais vulgar como é de bom tom entre os fascistas.As vítimas da guerra colonial são-no também à custa deste "governante".Tem as mãos manchadas com o suor, com a miséria, com a pobreza,com o sangue de muita gente.No final do seu consulado já era um entrave ao desenvolvimento das forças do próprio capital.A sua obstinação de fascista serôdio e caduco levou à morte muitos milhares de jovens portugueses na guerra colonial e à de muitos mais nas colónias do estado novo.
    Por isso digo e reafirmo. Salazar era ignorante, inepto, estúpido ( um néscio)quando se contempla a sua "obra" num ponto de vista mais distanciado.De facto um fascista por mais pergaminhos,perfumes, camisas lavadas e discursos com citações que use pode ser qualificado como tal.Só mesmo alguém muito "inepto,estúpido,ignorante" abraça um conjunto de ideias que mais tarde ou mais cedo serão derrotadas pelos povos em luta e os seus crimes levados inexoravelmente ao banco dos réus( quer já tenham ou não perecido).Entretanto quem tem interesse em desenterrar o nazi-fascismo como defensor dos seus interesses, o grande capital, esse continua de pé, a espreitar todos os momentos para.

    Porque tal como a inteligência também é em muitos casos selectiva, a estupidez é-o também..Mas isso tem já a ver com uma outra discussão que não interessa para aqui e agora.

    De

    ResponderEliminar
  23. Anónimo15/3/14

    Porque o que de facto aqui é relevante é a denúncia do que se passa à nossa volta,É o "ouvir" os sinos que tocam" e a quem muitos de nós não presta a devida atenção.Ou por distracção, ou por desinteresse, ou por egoísmo.A maioria das vezes é por ignorância dos factos ( por isso estes posts são tão importantes e fazem logo aparecer um ou outro para os tentar silenciar, mercê das mais diversas manobras).Umas quantas vezes é todavia por pura cumplicidade.

    O encontrar como justificação para actos de barbárie a "certeza" de que quem é o alvo de tais actos fez alguma coisa é repugnante.Por apagar o direito de defesa de inocência,porque junta na mesma pessoa ( quantas vezes um torcionário acicatado pelos chefes) o juiz e o executor da "pena", porque defende métodos inqualificáveis de acção.

    (Um desclassificado qualquer chega ao ponto de implicitamente defender a tortura porque há "gente pior do que animais". Nada mais há a dizer para quem tenta justificar tal abjecção)

    Quanto ao que um anónimo das 7 e 16 escreve, o que ele de facto escreve é um escrito típico de alguém que escreve com as qualidades acima escritas sobre salazar.Poder-se-ia dizer que talvez faça parte da cadeia de comando dos anormais aqui denunciados.Poder-se-ia dizer que talvez seja um dos escolhidos para tal.Mas que diacho.Bastaria uma simples leitura para deitar por terra o arrazoado de disparates do coitado.O analfabetismo funcional tem destas coisas e também é por isso que a educação é um dos alvos a abater pelos governantes que se governam.

    (já agora para quem duvida da fiabilidade do denunciado, no relatório dos Direitos Humanos 2014 do Departamento de Estado dos EUA (!!!) denuncia -se actos que violam os direitos humanos perpetrados pelas forças de segurança em Portugal em 2011, os dados mais recentes disponibilizados pelas autoridades portuguesas.
    O documento sublinha que "os mais importantes problemas relacionados com os direitos humanos incluem uso excessivo da força por parte da polícia e de guardas prisionais".
    O Departamento de Estado norte-americano reporta-se a dados da Comissão de Prevenção da Tortura (CPT) do Conselho de Europa, após visita a Portugal em abril de 2012, tendo concluído que "o sistema de notificação de denúncias de abuso foi quebrado e, portanto, é ineficaz".

    Agora as coisas estão bem piores.Porque os sinos tocam cada vez mais alto

    De

    ResponderEliminar
  24. Uma coisa é certa, quem semeia violência, colhe violência. Sabe-se sempre como começa, mas JAMAIS se sabe como acabará.
    Ao Jose sem acento no "e" deixe-me esclarece-lo; NÃO conheço nem nunca conheci em 53 anos de idade, nenhum Estado COMUNISTA, segundo os critérios Marxistas/Leninistas, não o foi a URSS, não o é a Coreia do Norte (bem pelo contrário), tão pouco o é a China. O que mais se aproxima é Cuba, inventem e mintam como contra-informação, lá o que quiserem, Cuba é o único país na via Socialista almejando um estado Comunista.Marxista/Leninista. Contudo, a luta pelo individualismo da propriedade será uma constante enquanto o homem não perder mais da sua ainda grande parte animal, a de se querer superior ao seu semelhante, à demarcação do seu território e referir-se à sua companheira como propriedade sua "a MINHA mulher", apenas deixou de defecar e ou urinar nos limites das suas propriedades. Saudações Progressistas rumo ao Socialismo.

    ResponderEliminar
  25. Cinto Negro, eu me confesso, que ambiciono um regime político que me convenha enquanto me mantiver neste estado de animalidade; mas logo que eu sinta ter abandonado esta condição rumarei ao socialismo. Saudações Progressistas!

    ResponderEliminar
  26. Anónimo16/3/14

    tanta gente iludida...uns com um país cor de rosa, vermelho, laranja ou outra cor qualquer, outros ainda que nunca sentiram a repressao na pele nem na carteira, e tal como os outros que vivem de pão e circo, nao tem vida propria e fazem da miseria dos outros as suas lutas, entre lagrimas de crocodilo e fins de semana longe da realidade, por que isto de lutar todos os dias não é pa quem pode, é pa quem quer...

    palavras e ideologias de bosta(porque nao sei se posso dizer merda nesta país)...esquerda ou direita, tudo nos consome, e a cor da farda é azul, para nao se notarem as manchas do sangue dos outros...eles querem la saber se é coelho à caçador ou um "porta segura", violencia e a frustraçao enquanto seres humanos nao muda nem se altera com a cor da assembleia...é tudo a mesma merda e so se combate a policia com um tiro nos cornos de cada um!

    ResponderEliminar
  27. Anónimo17/3/14

    O rumo que alguns tomam só para não falar na violência policial num estado que caminha para o abismo conduzido pela mãos dos "mercados" e dos terroristas sociais que nos governam.
    Vale quase tudo.Mas o reizinho vai mesmo nú

    De

    ResponderEliminar
  28. Anónimo19/3/14

    felismente lisboa não é a imagem do resto do pais. Pois aqui nesta cidade pervalece a falta de respeito.... AS PESSOAS AQUI VÃO PARA A NOITE, NÃO PARA SE DIVERTIREM, MAS SIM PARA BEBEREM E DROGAREM-SE, ONDE DEPOIS DISSO, EM VEZ DE CURTIREM AS MOCAS DELES JUNTAMENTE COM OS AMIGOS QUE OS ACOMPANHAM, andam por ai a provocar disturbios, metendo-se com pessoas que não conhecem, a estragarem patrimonio que é do contribuinte..... E depois vem para as redes sociais fazer comentarios tristes como estes que acabo de ler.
    Isto é claro que num pais com ordem nada disto se passaria, porque em outras cidades de outros paises, eu sei, que estes meninos desordeiros e indignados iriam se portar muito bem, porque ali quem tem atitudes desordeiras e contra a vida em sociedade paga muito caro, e volta novamente para a escola para aprender a viver em sociedade alem de outras punições.
    Mas eu sei que estas pessoas que comentam neste e outros blogues tambem sabem disso, e é por isso que gostam muito de lisboa, sim lisboa, porque em outras cidades do pais eles de certeza não iriam ter estas atitudes, porque o povo não espera pela policia para porem os desordeiros na ordem.
    Lisboa, cidade onde tudo é permitido, alcool, droga, falta de respeito para com os outros..... isto é lindo não é.... divirtam-se inconformados e fustradosda sociedade portuguesa.

    ResponderEliminar
  29. Anónimo19/3/14

    A iliteracia ( dificuldade em ler e interpretar, e escrever; falta de conhecimentos considerados básicos; analfabetismo) é uma coisa tramada...

    Mas há algo mais.

    Dum post lindo:
    "Creio sinceramente que é preciso recuperar a inteligência perdida. Acredito que esse processo passa por um desligar, tão acelerado quanto possível, das fontes de distração que nos desligam do mundo, mas sobretudo pelo estímulo ao pensamento livre e crítico, pela liberdade de criar e dizer, de agir e aprender num registo diametralmente oposto ao mecânico e memorizado, acrítico e acéfalo "saber ler, contar e escrever" do "novo paradigma" reciclado dos anos 50 protagonizado pelo actual ministro da educação e por quantos, por esse mundo fora, seguem a mesma cartilha"

    http://10mil-insurrectos.blogspot.pt/2014/03/estamos-ficar-mais-estupidos-e-gostamos.html

    De

    ResponderEliminar
  30. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  31. Confronta-se a contradição com a esquizofrenia e…dá nisto.
    Dou crédito ao post (se bem que escrito de forma imberbe, populista e lamechas).
    O mesmo, não se passa com a pessoa que o escreve, dadas posições, (ao que julga, (a pessoa), muito provavelmente legitimadas por um exercício dialéctico e por uma militância pro-hollywoodesca) que a faz sorrir, (escrever), sempre para o lado que as cameras "flasham" um borboto noticioso pigmentado de matizes bélicas acerca da democracia e da autoridade nacional, inflamada de razão e causa seja qual for a razão seja qual for a causa.
    Certo é, que a senhora que para mim deixou de ser camarada, dada a arrogância o umbigo e as fintas bíblicas proporcionadas pela sua escrita que tenta passar um atestado de estupidez e falta de memória a quem a lê dada a pirueta que nos leva a a catalogar esta senhorita (assenta-lhe), de artista de circo com tendências para o ilusionismo proto-esquerdista quando assume todos casos dos excluídos (incluindo baleias abandonadas em hora de ponta e PSP raivosos em manifestação para malhar na malta.)
    Há um assumir, ou um assomar, (sei lá) de identidade revolucionária por parte da geração noddy.
    A sua inconsistência tresanda.
    E o que para os da direita pode dar imagem de grande lutadora, para os que mobilizam, que trabalham, o Zé da Ganga, o que não fala nas reuniões de organização nem tem dotes de escrita, que levanta o cú da cama de madrugada para distribuir , propaganda ou avantes, que só vão ao bairro alto para conferir os mupis, não acreditam em ti...ou se acreditam não te conhecem nem o que escreves...e se acreditam estão enganados porque não lêem tudo o que escreves.
    Cresce, o liceu já acabou.
    Claro que a democracia da camaradinha como acontece em diversos posts que não lhe agradam levam-na a apagar as respostas porque foi assim que lhe ensinaram e a rabinice recomenda...mas não o partido ;)

    ResponderEliminar
  32. Apoio judiciário para quê já que se chama segurança social e prisional e se destina a proteger o governo do cidadão, os advogados fabricam diáriamente incongruências para fomentar o mercado de justiça, são eles os vampiros que Zeca Afonso cantou!

    ResponderEliminar