Mostrar mensagens com a etiqueta Outubro. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Outubro. Mostrar todas as mensagens

Outubro

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Era um vez, há muito, muito tempo atrás, um país onde quem ordenava era o povo. Pode parecer impossível, mas nessa terra distante, os teatros eram gratuitos, só se trabalhava sete horas, os estudantes eram pagos para continuar a estudar e quando alguém ficava doente, havia hospitais onde não se pedia dinheiro nem seguros de saúde.

Mas esse mundo desapareceu: os teatros voltaram a ser caros, voltou a trabalhar-se doze horas por dia, os estudantes passaram a ter que se endividar para poder estudar, os hospitais voltaram a ser um privilégio dos ricos e nós, passada a vertigem bárbara dos anos noventa, voltámos a debruçarmo-nos como arqueólogos sobre as ruínas engolidas pela selva do dinheiro, querendo saber tudo sobre esse tempo, como nasceu, como viveu e como morreu.

Memória (duas notas)

sábado, 1 de fevereiro de 2014

#1

Um dos sinais de que o tempo meu, aquele que dedico às coisas minhas, anda reduzido a quase nada é a acumulação de "Avantes" que vou conseguindo numa das divisórias da mochila. Todas as quintas-feiras compro o meu exemplar mas nem todas as semanas o leio.

Ontem à noite consegui por fim folhear o último Avante! e nele descobri, entre outros textos que já percebi que me interessam bastante, um artigo na secção "Temas" assinado pela Anabela Fino, intitulado "Lembrar Auschwitz para preservar a memória". É para mim um orgulho que o jornal do meu Partido (Partido, com P grande e digno) continue a contribuir activamente para a memória do que foi o nazi-fascismo, sobretudo num tempo em que a extrema-direita mete novamente as garras de fora, um pouco por toda a Europa.

O link para o texto da Anabela fica aqui. Leiam-no, é a sugestão que vos deixo. Merece bem a pena.